Home » Manchete, Notícias

Operação Nações Unidas

31 de dezembro de 2009 2.973 visualizações 2 Comentários Imprimir este artigo Imprimir este artigo

Fonte: www.tonoticias.jor.br – 31/12/2009 às 09h57min

Jornalista: FANTONI PESSO.

Réveillon antecipado: Polícia comemora e quadrilha dança

clip_image001O crime organizado sofre mais um duro golpe com a realização da Operação Nações Unidas pelas Polícias Civil e Militar durante todo o dia de ontem em Teófilo Otoni. Na terceira operação no ano para desarticular quadrilhas ligadas a crimes violentos na zona norte da cidade, 25 alvos foram estabelecidos como meta das equipes.

Ainda na madrugada 80 policiais e 15 viaturas se reuniram num ponto estratégico para ajustar os detalhes da ação amparada por 13 Mandados de Busca e Apreensão e sete de prisão.

Os alvos das equipes mistas eram os bandidos conhecidos pela alcunha de Nenê, Gão e principalmente Alan Cara Fina, suspeito de chefiar o tráfico e crime de homicídio na zona norte do município.

Escondido numa fortaleza no alto da Vila Felicidade, Alan Lemes Carvalho, vulgo Alan Cara Fina teve o nome escrito nas paredes do antigo posto de saúde do bairro. Nos dizeres “Cara Fina vai te pegar”, está embutida uma mensagem ameaçadora, segundo a Polícia, a quem tentasse desafiar as ordens dele e os comparsas.

Assim, foi montado um cerco aos bairros Vila Betel, Felicidade e Alto do DER, para que nada ou ninguém escapasse das buscas. Ao fim da primeira etapa da batida policial, 16 pessoas foram levadas para delegacia e com elas, R$ 9 mil reais em dinheiro e cheques, farta munição em calibres variados, cinco armas de fogo e aparelhos celulares.

O capitão Carlos, que comandou as equipes da PM envolvidas na primeira fase da operação, também é responsável pelo policiamento na zona norte de Teófilo Otoni. Ele elogiou mais uma vez a dedicação dos policiais independente da corporação a que pertencem, na hora de executar a missão.

“O sucesso dessa operação se deve ao empenho das equipes, de cada policial na hora de cumprir a missão, agora vamos investir em prevenção na área norte para evitar nova ocupação do território por outros infratores”.

Após um mês de planejamentos, para o delegado de Tóxico e Homicídios em Teófilo Otoni Jéferson Botelho, o resultado da operação “Nações Unidas” não poderia ser melhor. O batismo da operação se deve ao fato dos marginais terem esconderijo em ruas com nomes de países nas Vilas, Betel e Felicidade.

Segundo o delegado Botelho, um dos mais cruéis assassinatos registrado esses anos na cidade foi de um adolescente foi torturado antes de ser morto e enterrado em cova rasa numa fazenda da Vila Betel.

As investigações apontam que 13 marginais participaram do homicídio, incluindo Alan Cara Fina, que teria quebrado as pernas da vítima com uma alavanca antes da morte com arma de fogo. Somente ontem, mais quatro envolvidos no delito foram presos pela operação Nações Unidas, que agora se juntam a outros três, que já estão sob custódia da Justiça.

“Vamos avançar nas investigações para prender os demais seis suspeitos de participar da morte do adolescente. Assim vamos impor ao crime organizado a força do estado, e provar que o bem supera o mal quando a sociedade acredita do trabalho da Polícia”, destacou Botelho.

A prisão de um bandido frio, sem DEUS no Coração e ameaçado de morte por rivais, foi destacada pelo delegado que já pedia a rendição dele como forma de salvar a própria vida. Mas isso não aconteceu. Persistência, determinação, insistência, acreditar que o objetivo precisa ser alcançado, pois dele depende a Paz para uma população inteira.

Esse foi o combustível que empurrou policiais civis e militares a não desistir da perseguição a um criminoso com vasta ficha de delitos na zona norte de Teófilo Otoni. Alan Lima Carvalho, 20 anos, pintor, marginal de corpo franzino, mas de uma disposição para o crime pouco percebida em bandidos em Teófilo Otoni.

Ele furou o bloqueio das polícias na Vila Felicidade na manhã de ontem e frustrou em parte o trabalho planejado. No rosto dos policiais civis e militares ficou a pergunta…o que dizer agora a sociedade? O que responder as mães cujos filhos foram assassinados por Alan Cara fina?  Como dizer a policiais ameaçados pela quadrilha dele, que Cara Fina escapou mais uma vez das mãos da Lei e da Ordem?

Assim, na tarde de ontem, mais uma vez equipes a tropa de choque da PM e da Civil, partiu do centro da cidade rumo ao bairro São Cristóvão. Ao cercar uma casa próximo a Escola São Cristóvão, a população saiu ás portas das casas para acompanhar a ação revestida de cuidados.

Em poucos minutos Alan Cara fina estava preso e saia de casa algemado, cabisbaixo e sem ação diante do cerco policial imposto a ele. Após prisão o delegado Jéferson Botelho avaliou o risco que o marginal representa a sociedade. “Ele é frio, calculista, sem escrúpulos e cruel com as vítimas das quais tirou a vida…..a começar por três pessoas mortas no campo do Surumaia e as mais recentes..Jerusalém Medeiros e um adolescente na Vila Felicidade”, destacou.

Como reposta a população que clamava por Justiça, o comboio que escoltava Alan Cara Fina saiu do São Cristóvão, subiu a Vila Felicidade. O criminoso passou na viatura da polícia com a cabeça escondida, pelas ruas onde por tantas vezes desfilou como líder de quadrilha.

Em seguida e de mesma foram, Alan não encarou a sociedade que aplaudia o trabalho da polícia pelos bairros e no centro da cidade, por onde passou antes de seguir para Delegacia Regional de Polícia Civil.

Ao ficar cara a cara com policiais que passaram meses afinco na caçada da quadrilha da Vila Betel, Alan Cara Fina foi simplório ao assumir os crimes a ele aludidos pela Polícia. Na mesa do chefe de Polícia Civil haviam cinco mandados de prisão contra Cara Fina, sendo que ele é suspeito em pelos menos 12 inquéritos de homicídios, alguns com requintes dos mais perversos meios de crueldade contra as vítimas.

Ao ser indagado pela imprensa, cara fina disse “ vou assumir os crimes que pratiquei, não os que a polícia diz que sou autor….sou trabalhador e pratiquei alguns furtos e roubos sim, mas só matei em legítima defesa”, destacou o infrator.

O chefe de Polícia Civil Isaías Pontes elogiou o empenho das equipes em não desistir da missão até que o objetivo fosse alcançado.

“Temos a certeza que a sociedade terá um final de ano em Paz, e nós com a garantia do dever cumprido. Mas se enganam os bandidos que pensam que vamos relaxar a vigilância. Vamos agora estabelecer novas metas e apertar ainda mais o cerco a crime em Teófilo Otoni em 2010. Por isso é necessário que a sociedade acredite mais na Polícia”, garantiu Pontes de Melo.

clip_image002Outro fator importante para as vitórias da Defesa Social em Teófilo Otoni esse ano foi a integração das Polícias Civil e Militar em ações conjuntas e sem “estrelismos” na hora de cumprir as missões destinadas a cada equipe.

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+

2 Comentarios »

  • Francinele disse:

    Dr. Jeferson parabens pelo sucesso da operacão. Feliz natal e Ano Novo repleto de paz e muito sucesso.

  • Maria de Fátima Ferreira da Sillva disse:

    Olá, Dr. Jefferson e competente Equipe!
    Parabéns, pelo êxito na Operação Nações Unidas!
    Você é pessoa especial. Um Bem que Deus trouxe ao mundo para limpar, exterminar da sociedade os tiranos que se acham os eternos de plantão para o mal. Assim, a humanidade vive melhor.

    Tenho muito orgulho de você. Minha gratidão, por tudo que faz pelo resgate do bem-estar desta nossa Teófilo Otoni.

    Sucessos em 2010. E que Deus sempre o proteja.

    Fátima Ferreira,

    Amiga e ex-professora

Deixe um comentário!

Faça seu comentário abaixo, ou um trackback do seu site. Você também pode se cadastrar nesses comentários via RSS.

Seja simpático. Permaneça no assunto. Não faça spam.

Você pode usar essas tags HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

O Gravatar está ativado. Para ter sua imagem nos comentários, registre-se no Gravatar.