Home » Manchete, Notícias

DELEGADO DE POLÍCIA É ELEITO PRESIDENTE DA COMISSÃO DOS DIREITOS HUMANOS EM GV

1 de novembro de 2010 1.983 visualizações 1 Comentario Imprimir este artigo Imprimir este artigo

altNa data de 29/10/2010, o Delegado de Polícia Civil em Governador Valadares/MG, Dr. MARCOS DE ALENCAR MIRANDA, foi reeleito como Presidente do CONSELHO MUNICIPAL DE DEFESA E PROTEÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS DE GOVERNADOR VALADARES, para o período de 2010/2012.

A reeleição do Dr. Marcos de Alencar reafirma o propósito da Polícia Civil de Minas Gerais na defesa do estado organizado de direito social, na defesa da dignidade da pessoa humana e das prerrogativas da Instituição Policial.

Acreditamos que mais uma vez, a Polícia Civil de Minas Gerais reacende a discussão da temática legalista na promoção dos direitos humanos em Minas Gerais.

O Dr. Marcos de Alencar é Titular do 4º Distrito Policial em Governador Valadares, atuante em áreas sociais em Valadares, autoridade policial reconhecida na cidade pelas atividades que exercem e defendem em nome do interesse público e renomado Professor de Direito Penal da UNIVALE, um dos mais competentes profissionais do Estado de Minas Gerais.

Vários policiais civis da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil, em Governador Valadares/MG compareceram na posse dos membros do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos Humanos, em especial aos empossados, Dr. Marcos de Alencar Miranda e Dr. Vinícius Sampaio.

O Delegado Regional de Polícia Civil, Dr. Jéferson Botelho prestigiou o evento, e disse que é uma vitória para Polícia Civil a posse de dois colegas de trabalho que representam a vontade da Instituição na luta pela promoção dos direitos humanos, hoje internacionalizados por diversos tratados e convenções, a exemplo da Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948.

Hoje é um dia muito importante para a afirmação do compromisso da Polícia com os direitos humanos.

A recondução desta diretoria à frente da Comissão dos Direitos Humanos em Governador Valadares/MG nos mostra a certeza do comprometimento pelos ideais de justiça que devem constituir o paradigma de uma sociedade livre e liberta da violência em todos os seus setores.

A maior violência que salta aos olhos da comunidade é a certeza da impunidade que faz crescer a insegurança e viola os fundamentos dos direitos humanos mais relevantes, que é paz espiritual.

A vida da comunidade, a qualquer nível, mostra claramente como o respeito dos direitos e as garantias que deles derivam sejam medidas do bem comum que servem para avaliar a relação entre justiça e injustiça, desenvolvimento e pobreza, segurança e conflito.

A promoção dos direitos humanos permanece a estratégia mais eficaz para eliminar as desigualdades entre Países e grupos sociais, assim como para um aumento da segurança. Para a efetivação dos conceitos de direitos humanos, numa concepção de proteção aos direitos de segurança da comunidade valadarense, é necessário que fortaleçamos nosso time de defensores: Esse time é formado por defesa, meio de campo e ataque:

Na defesa, é preciso que tenhamos uma polícia atuante e legalista, cuja atividade é abraçada com toda a sociedade, uma espécie de responsabilidade compartilhada.

No meio de campo, precisamos de um Ministério Público fiel à sua função de armar as ações, distribuir, articular e impulsionar a justiça.

No ataque, precisamos com urgência de um Poder Judiciário comprometido com suas funções sociais, apreciando as demandas tempestivamente, decidindo sem vaidade, aplicando-se a lei sem o perigoso ativismo judicial, destinando sua função aos interesses da sociedade, razão principal da atividade pública.

Na minha visão, acredito sinceramente, que para garantia dos direitos humanos, esse time precisa de mudanças urgentes. Somente um treinador cego para não enxergar a necessidade dessas mudanças, concluiu Botelho.

altalt

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+

1 Comentario »

  • Jucelio disse:

    Boa tarde.
    Solicito de vossa senhoria que mande juntamente com a imprensa, uma comissão dos Direitos Humanos até a cidade de Guanhães, que fica aproximadamente uns 150 km de G.V; para apurar e tomar providências no sentido a CADEIA PUBLICA.
    Tudo lá está fora da lei; a cela dos adoslecentes e do lado das mulheres e pertos dos homens.Os agentes que são contratados ficam sempre na grade com conversa com as detentas, só trabalha 01 PM no turno compreendido numa escala de 08h, sendo que a legislação reza apenas 06h de serviço em guarda de cadeia. É constante a retirada de detentos pelas madrugadas para conduzir ao HPS pelos agentes, e pela lei mulheres tem que ser vigiada e conduzidas por mulheres e não podem ter a presença masculina. Lá mulheres detentas são escoltadas pelos agentes e pela PM, ferindo as normas da lei; e muitas outras irregularidades.
    Vou mandar essa msg para a Imprensa e o Dep. Durval Angelo, até ver esses abusos fora da lei acabarem.
    Na esperança de que alguem possa tomar providências, antecipo agradecimentos.
    Respeitosamente,
    Jucelio.

Deixe um comentário!

Faça seu comentário abaixo, ou um trackback do seu site. Você também pode se cadastrar nesses comentários via RSS.

Seja simpático. Permaneça no assunto. Não faça spam.

Você pode usar essas tags HTML:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

O Gravatar está ativado. Para ter sua imagem nos comentários, registre-se no Gravatar.